A partir de um universo particular, poucas vezes registrado pelos nossos olhos, Luciano Gemaque cultiva um hobby que une a paciência e a técnica da fotografia macro. O fotógrafo busca beleza no que em muitos só causa desconforto e até urticária: os pequenos seres invertebrados.

Para captação das imagens, Luciano usa equipamentos simples: câmera Sony DSLR, uma lente 18-55mm, outra 70-300mm, um filtro de ampliação de 4x e um flash dedicado. É no computador, na pós-produção, que as imagens ganham a dimensão final, a partir da edição pelo Lightroom ou Photoshop. “Trabalho com isso há muito tempo, o que me dá certa facilidade”, revela o fotógrafo.

Ao escolher o que e como fotografar, Luciano passa a assinar suas fotografias como “Nature N’ Macro”. Uma outra assinatura visual do explorador é condicionando o olhar, envolvendo sempre luz de fundo, causando perspectiva e finalizando a imagem escurecendo as bordas, assim, enfatizando o ponto de interesse.

Ao enfrentar o ambiente hostil onde captura suas imagens, Luciano não dispensa água, repelente e joelheiras. O fotógrafo busca estar preparado pra correr o mínimo de risco possível, pois compensa no tempo as limitações do seu equipamento: ”é natural ter que fazer umas 200 fotos pra trabalhar com 15 ou 20, no máximo”, explica.

A fotografia macro possibilita o olhar mais próximo, tanto científico quanto social, “Tu tens que pensar que esses seres peculiares são a grande maioria no mundo. Na verdade, o mundo não é nosso, o mundo é deles. Nós temos uma parcela de 5%”, ensina Luciano. Na fotografia de Luciano Gemaque, o espectador vai encontrar extravagância, beleza e inquietação. Tudo que a arte deve ensejar.

Deixar um comentário